Logística Reversa – Vale a pena? Como funciona?

A preocupação com o meio ambiente tem crescido muito nos últimos anos. A quantidade de lixo produzido diariamente nas grandes cidades trouxe atenção para o fato de que algo deveria ser feito.

Esa preocupação influenciou o surgimento de novas técnicas de produção que pudessem agredir menos o meio ambiente sem que o comércio e as indústrias fossem fortemente afetadas. Uma das principais ideias nesse sentido foi a reciclagem de materiais. A partir da reciclagem, novas técnicas foram surgindo, e uma das principais é a Logística reversa.

Logística reversa

O que é logística reversa?

Logística reversa é a área, dentro da logística, que cuida do retorno do material já utilizado, providenciando seu descarte de maneira correta ou o reaproveitamento do mesmo, gerando lucro e protegendo o meio ambiente.

Também conhecida como Logística Inversa, essa prática tem sido cada vez mais implementada pelas empresas, com o objetivo de atingir sustentabilidade econômica e ambiental, além de se enquadrar na legislação vigente.

Esse tipo de logística, além de reduzir custos, também ajuda a empresa a criar uma imagem positiva do ponto de vista ambiental, pois hoje em dia muitos consumidores fazem questão de consumir apenas produtos de empresas que demonstram essa preocupação. Ter sua marca associada à degradação ambiental pode ser desastroso para qualquer empresa.

Segundo a Lei 12.305/2010, são co-responsáveis pela destinação final dos resíduos provenientes da fabricação de seus produtos os fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes de:

  • Agrotóxicos, seus resíduos e embalagens;
  • Pilhas e baterias;
  • Pneus;
  • Óleos lubrificantes, seus resíduos e embalagens;
  • Lâmpadas fluorescentes, a vapor de sódio e mercúrio e de luz mista;
  • Produtos eletroeletrônicos e seus componentes;
  • Produtos comercializados em embalagens plásticas, de metal ou vidro, e aos demais produtos e embalagens, considerando o grau de impacto à saúde pública e ao meio ambiente.

Objetivos da logística reversa?

Logística reversa

De forma resumida, podemos dizer que a logística reversa tem como objetivo um conjunto de estratégias para planejar e controlar, de forma rápida e eficiente:

  • O retorno ou a recuperação de produtos;
  • A redução do consumo de matérias-primas;
  • A reciclagem, substituição e reutilização de materiais;
  • O descarte correto de resíduos;
  • A reparação e a refabricação de produtos.

Como funciona o processo de logística reversa?

A logística tradicional segue os seguintes passos: materiais diversos são produzidos pelas indústrias, transportados até distribuidores e varejistas que, por sua vez, se encarregam de vender o produto para o consumidor final. A logística reversa faz o caminho inverso. Existem várias formas de como se fazer, que serão definidas a partir do tipo de produto.

A logística reversa segue duas linhas principais:

  • Pós-consumo, para produtos já consumidos ou com o prazo de validade vencido. Neste caso, as embalagens precisam retornar ao fabricante, e os produtos precisam ser descartados corretamente;
  • Pós-venda: a legislação brasileira garante ao consumidor o prazo de até 7 dias para devolver um produto (em caso de compra pela internet), e até 30 dias para reclamar de defeitos ou de produtos diferentes da oferta ou propaganda (para compras em lojas físicas).

Nos dois casos, é preciso estabelecer um canal de contato com o consumidor, e formas de recolher  e fazer a troca dos produtos de forma rápida e eficiente.

Normalmente o processo começa com ações de marketing incentivando o consumidor final do produto a dar o destino correto. Por exemplo, se você compra uma pilha, o próprio local de venda terá informações sobre como descartar corretamente aquele produto. Um segundo passo é instalar uma rede de pontos de descarte e coleta, para que o consumidor possa descartar o produto. Por fim, incluir esses pontos em uma rota já definida, para que os motoristas possam, ao retornar às transportadoras, passar por esses pontos para coletar os produtos e levá-los para posterior envio ao fabricante.

Logística reversa

Exemplos

Na Europa, a reciclagem é muito comum, fruto de uma consciência ambiental desenvolvida por muitos anos. Na Alemanha, por exemplo, todo produto líquido embalado em vidro ou plástico recebe uma sobretaxa de 0,25 centavos de euro no seu preço. O consumidor pode, após o consumo, enviar essas embalagens em máquinas próprias, que emitem um ticket com o mesmo valor cobrado, 0,25 centavos por embalagem, que pode ser utilizado naquele estabelecimento comercial. É uma forma de incentivar as pessoas a retornar as embalagens que, dessa forma, poderão ser reutilizadas.

Logística reversa e reciclagem no brasil

Embora a prática da coleta seletiva tenha crescido no Brasil, ainda há muito a ser feito nesse sentido. O setor que mais desenvolveu a logística reversa foi o de e-commerce, mas, de forma geral, o país ainda está longe de atingir um equilíbrio entre produção comercial e meio ambiente.

Dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) mostram que o percentual e rejeitos enviados para aterro sanitário no Brasil tem crescido nos últimos anos, mostrando que as ações implementadas até aqui tem se mostrado ineficientes.

Vale a pena?

Quando feita da maneira correta, a logística reversa pode trazer muitos benefícios às empresas, melhorando sua imagem, reduzindo seus custos e, principalmente, cumprindo a lei e beneficiando a sociedade. Ela atende não somente ao mercado e à economia, mas a sociedade como um todo, por envolver atividades como reciclagem, reaproveitamento de materiais e destinação e tratamento adequado de lixo.


Recomendados para você:


Ajude a melhor ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply