Lucro – Quais os tipos de lucros e suas diferenças

Lucro é o rendimento que uma pessoa ganha a partir de algo. Também pode ser considerado privilégio ou vantagem sobre alguma coisa. Apesar dessa definição básica, existem vários tipos de lucros e várias formas de calcular a margem de lucro.

Antes de se obter o lucro é necessário pagar todo o custo de produção do mesmo, a operação que o envolve e os impostos. Entenda nesse texto o que é o lucro, a margem de lucro e os tipos de regime tributário existentes:

O que é lucro?

Lucro

Quando se dedica tempo, esforço e até mesmo dinheiro, espera-se obter um lucro. Espera-se obter um rendimento adequado ao tipo de negociação, produto ou serviço. Para compreender os tipos de lucros também precisamos falar sobre outros temas relacionados, como a margem de lucro, tipos de impostos e regime tributário.

Tipos de margem de lucro

A margem de lucro é o valor que se ganha após vender um produto. No entanto, há fatores que precisam ser considerados,

Margem Bruta

É o valor total do lucro que se ganha a cada venda. Ou seja, o valor de venda menos o custo de produção.

No entanto, para se ter o lucro mesmo, é preciso incluir outros custos operacionais necessários para manter o negócio. Na margem bruta, usasse como base somente o custo de matéria prima e funcionários para produzir/confeccionar cada item.

Margem Líquida

Esse tipo de lucro mostra o quanto o empreendedor de fato ganhou por cada produto vendido. Após os cálculos onde se obteve a margem bruta, faz um novo cálculo e se subtrai as demais despesas da empresa. No fim, o resultado é o lucro líquido de cada produto vendido.

Margem de Distribuição

A margem de distribuição é bem simples de compreender. Basicamente, corresponde a quantidade de itens que devem ser vendidos para pagar toda a operação envolvida para colocá-lo à venda.

Tipos de impostos

Lucro

Toda empresa precisa pagar impostos. O que muda nessa questão é o tipo de imposto e o valor, já que são pagos de acordo com o tipo e porte da empresa.

De uma maneira geral, os principais impostos pagos pelas empresas são:

  • IRPJ – imposto sobre o rendimento das empresas;
  • COFINS – contribuição federal, incide sobre o que a empresa fatura;
  • PIS – contribuição federal de cunho social, se destina a pagar o abono e o seguro-desemprego;
  • CSLL – Contribuição Social sobre o Lucro Líquido;
  • ICMS – imposto de competência estadual, incide sobre à circulação de mercadorias e alguns tipos de serviços;
  • ISS – tributo municipal, incide sobre a prestação de serviços.

Sabendo que é necessário pagar os impostos, agora é o momento de conhecer os regimes tributários existentes. Atualmente, são três modalidades: Simples Nacional, Lucro Presumido e o Lucro real.

Simples Nacional

Lucro

Esse é um regime tributário para empresas que fatura até R$ 4,8 milhões (a partir de 2017). Aqui enquadram pequenas e microempresas. Todas as empresas precisam pagar uma série de impostos de acordo com o seu porte e o lucro obtido. No Simples Nacional, tudo é pago em apenas uma guia, o Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS).

Sendo assim, o IRPJ, CSLL, PIS, COFINS, IPI, CPP, ISS e ICMS são pagos em apenas um boleto. Isso facilita a rotina e a organização da empresa.

Lucro Presumido

Como o próprio nome já diz, os impostos pagos pelas empresas tem um valor base já “presumido”, ou seja, têm como base uma margem de lucro pré-fixada. Serve para empresas que possuem faturamento até R$ 78 milhões/anual.

Dessa forma, o IRPJ e o CSLL são calculados com base nessa margem já estipulada, o que facilita sua apuração. O valor fixado varia de acordo com a atividade da empresa. Sendo estipulado algo entre 1,6% a 32% do faturamento.

Se a empresa faturar mais que a margem pré-fixada, ainda assim o imposto pago será com base no valor já pré-fixado. No entanto, se o valor faturado for menor, o cálculo é diferente. Neste caso o imposto é calculado com base na margem presumida, basicamente 8% para atividades industriais e comércio, 32% para serviços.

O Lucro Presumido ainda possui outros pontos que precisam ser tratados com cuidado. Como por exemplo, PIS e COFINS são calculados de forma cumulativa. Em resumo, as compras da empresa não são abatidas destes impostos. Sendo assim, a alíquota é de 3,5% sobre o faturamento.

Lucro

Lucro Real

Esse tipo de regime pode ser adotado por qualquer empresa, independente do seu tamanho. Para algumas atividades, como é o caso de instituições financeiras, esse é o único tipo que se enquadra.

Por ser o regime de tributo mais complexo, é mais utilizado por empresas de grande porte, que faturam acima de R$ 78 milhões/anual. Basicamente, os impostos são calculados com base no lucro real da empresa.


Recomendados para você:


Ajude a melhor ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply